Síndrome do Burnout: é importante você saber que isso existe.

Publicado em 15/04/2021 por Jeniffer Cazelato

Eu sou daquelas que trabalha a qualquer hora e o quanto for necessário e sei que você que está lendo esse artigo agora pode ser assim também. Porém é preciso se observar. A jornada dupla (tripla, quádrupla…) é uma realidade para nós, mulheres. É trabalho, responsabilidades em casa, projetos pessoais, vida pessoal, filhos, contas, mercado, médico, escola e ainda tem que sobrar tempo pra estudar. Ufa! Só de pensar, já perdi o fôlego. Trabalhar, ser independente e ainda investir em seus projetos é algo incrível, mas você sabe reconhecer quando está te sobrecarregando? A síndrome do Burnout é justamente quando a vida profissional causa um esgotamento físico e mental, alertando que passamos dos limites. 

 

Sua principal característica é o estado de tensão emocional e estresse crônicos provocado por condições de trabalho físicas, emocionais e psicológicas desgastantes. Sabe aquele dia que você sente que não vai aguentar de tanta exaustão? É aí que mora o perigo. A síndrome se manifesta especialmente em profissionais das áreas de educação, saúde, assistência social, recursos humanos, e mulheres. 

Como saber se eu já tive ou tenho Burnout?

O principal sintoma é o esgotamento físico e emocional. É a sensação de estar exausta, sem concentração e energia para realizar tarefas simples relacionadas ao trabalho. Muitas vezes o Burnout está escondido em pequenas atitudes do dia a dia, como:

  • Ausências no trabalho;
  • Agressividade;
  • Isolamento;
  • Mudanças bruscas de humor;
  • Irritabilidade;
  • Dificuldade de concentração;
  • Lapsos de memória;
  • Ansiedade;
  • Depressão;
  • Pessimismo;
  • Baixa autoestima.

Além disso, dor de cabeça, enxaqueca, cansaço, sudorese, palpitação, pressão alta, dores musculares, insônia, crises de asma, distúrbios gastrintestinais são manifestações físicas que podem estar associadas à síndrome. Se você deu check na maioria desses sintomas, é importante reavaliar a sua rotina. Quem me acompanha sabe bem que sempre digo que o equilíbrio é desequilibrado e esse “equilíbrio” é essencial para uma vida mais saudável e leve. E, afinal, independente de qual seja seu objetivo final (pode até ser sobreviver rs) precisamos estar consciente de nós para chegar lá.

Como é feito o diagnóstico?

Através de uma consulta clínica com um psiquiatra, o diagnóstico leva em conta o levantamento da história do paciente e seu envolvimento e realização pessoal no trabalho. Como é a sua rotina? Você costuma fazer pausas entre uma tarefa e outra? Você determina limites para as horas de trabalho? Existem horas de descanso? Como é a qualidade do sono? Você tem dificuldade para se concentrar? Está sempre exausta? Essas são algumas questões que o profissional avalia na hora de diagnosticar o paciente. 

Como evitar?

  • Faça pausas: durante o dia, intercale a rotina do trabalho com pequenas pausas. Eu sei que no home office tudo fica mais caótico, porém isso pode estar nas pequenas coisas, como levantar para tomar um café, dar uma volta, assistir algum conteúdo que te faça relaxar. O importante é se desligar por alguns instantes para que a carga vá ficando mais leve.
  • Estipule horários e respeite: estabelecer horários para o trabalho, principalmente pra quem está empreendendo, pode ser um desafio. A gente sempre acha que dá pra fazer mais um pouco, né? É muito importante respeitar o período de trabalho pra gente não invadir os nossos momentos de lazer, tão importantes para a nossa saúde e para uma vida equilibrada. Faça um cronograma, organize o seu dia e respeite os seus limites.
  • Aprenda a dizer não (pra si mesma): muitas vezes a gente vai ultrapassando os nossos limites porque não sabemos dizer não. Vamos aceitando vários projetos, várias demandas, sem ao menos se perguntar se somos capazes de dar conta de tudo isso. Saiba dizer não para você mesma. Um dia você vai se agradecer! 
  • Fique atenta aos sinais: se algo não vai bem no nosso corpo, isso é um chamado para um olhar com mais cuidado. Se você está sentindo dores constantes, exaustão, falta de concentração, entre outros sintomas, procure um profissional. Ele irá te orientar sobre a melhor forma de tratamento para o seu caso.
  • Tire um tempo pra você: pensar muito nas coisas faz a gente se deixar de lado. Tenha uma rotina de cuidados com você! Assista um filme, faça uma skincare, ouça uma música mais calma. Resumidamente: faça coisas que te desconectem do trabalho e genuinamente te façam feliz! (nem que seja trancada no banheiro) Exercite-se, ainda que em casa: hoje em dia temos um leque de canais, perfis e profissionais que dão aulas on-line. Você pode escolher qual é a sua atividade preferida e treinar em casa, descobrir novas habilidades e de quebra ainda melhorar o seu humor e a sua qualidade de vida. Seja crossfit ou dança, o importante é se mexer!

Gostou desse artigo coisa linda? Compartilhe com aquela amiga que vai curtir saber disso e lembre-se: a vida é feita de (des)equilíbrio! 

Mande seu recado!

Receba novidades e conteúdos exclusivos!
Open chat
Fale comigo agora